Araras - SP

Na zona urbana de Araras há boas opções para quem busca um turismo que mistura cultura, história e contato com a natureza, gastando-se pouco ou nada, uma vez que os principais pontos turísticos têm acesso gratuito ao público. Um dos cartões postais da cidade, a Casa da Cultura Emílio Silvestre Wolff é parada obrigatória para quem visita a cidade. Também conhecido como ?Lago?, fica na região central e oferece, como atrações, um belo paisagismo, espaço para atividade física em especial caminhadas, com calçamento demarcado, ciclovia e espaço para alongamento.


Secretaria do Turismo:
(19) 3541-5763
Site:
http://www.araras.sp.gov.br

Pontos Turísticos

Biblioteca Municipal Martinico Prado

Construída na primeira metade do século passado e totalmente restaurada em 2003, a Biblioteca tem um acervo com mais de 43 mil volumes e é dotada de um laboratório de informática com 20 computadores conectados à internet, para pesquisas e estudos gratuitos.

Casa da Cultura

Um dos cartões postais da cidade, a Casa da Cultura Emílio Silvestre Wolff é parada obrigatória para quem visita a cidade. A Casa da Cultura fica na Praça Barão de Araras, no Centro. Projetada por Vitor Dubugras, ela foi construída em 1896, e já funcionou como Fórum Municipal, Cadeia Pública e Câmara.

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Patrocínio

A Padroeira de Araras, Nossa Senhora do Patrocínio, cujo dia é celebrado em 15 de agosto, tem lugar de honra no cenário urbano. A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Patrocínio, construída em 1897 e totalmente restaurada recentemente, com esforços da própria comunidade.

Parque Municipal Fábio da Silva Prado

Também conhecido como ?Lago?, fica na região central e oferece, como atrações, um belo paisagismo, espaço para atividade física ? em especial caminhadas, com calçamento demarcado, ciclovia e espaço para alongamento.

Praça Monsenhor Quércia

Na Praça Monsenhor Quércia, no Centro, fica o ?Casarão Rosa?, como é popularmente chamado, e que também tem muita história. Construído no início do século passado, o prédio funcionou como hospedaria de imigrantes, sobretudo italianos, que chegavam em grande quantidade ao interior de São Paulo para trabalhar, principalmente nas fazendas de Café.

Mais cidades de SP